quinta-feira, 30 de agosto de 2018

Programação CTG Negrinho do Pastoreio

É vasta a programação do CTG Negrinho do Pastoreio, da minha São Chico de Assis, para essa Semana Farroupilha com almoço e jantar todas as noites, além de show, fandangos, tertúlias livres e apresentações de invernadas. 
Mais uma vez estarão no Palco do CTG grandes nomes da musica gaúcha, com fandangos memoráveis, tais quais, os Grupos Nosso Balanço, Fogo de Chão (do Paraná) Machado e Marcelo do Tchê! Os Chacreiros, além do tio Ênio Medeiros e os de Campanha.
Tudo pronto e agora é só comparecerem e não deixarem morrer o que se tem de melhor nesse estado que essa semana repleta de muita festa, cordeona e trago, além, é claro do desfile de 20 de Setembro que sempre é um momento especial.
Eu não poderei estar por lá, mas mesmo ao longe, estarei torcendo para que a Tradição não se perca diante a tanto modernismo e escrachismo como estamos vivendo nos ultimos anos, onde a Cultura de nosso estado morre à míngua,diante do desleixo de nossos governantes. Mas ainda acredito que, onde tem um Homem acavalo, nós teremos História e teremos tradição.
Todos convidados.

CLASSIFICADAS - 27º RONCO DO BUGIO



BUGIOS CLASSIFICADOS
Fase Local - Sexta-feira - 14 de setembro - 19h30
1. GAITEIRO SERRANO
Letra: Gonzaga Manique
Melodia: Gonzaga Manique

2. GURIA SERRANA
Letra: Jorge Pinalli
Melodia: Jorge F Pinalli

3. LAMENTO DO BUGIO
Letra: Laura Reis Machado
Melodia: Mateus Reis Machado/Diego Buchebuan

4. MARCAS DO TEMPO
Letra: Bruno Costa
Melodia: Bruno Costa/Cirilo Barcellos

5. QUERÊNCIA ABENÇOADA
Letra: Jardel Borba
Melodia: Jardel Borba

6. REPONTANDO A TRADIÇÃO
Letra: Valdir de Oliveira
Melodia: Valdir de Oliveira

7. RONCA ALTO, BUGIO!
Letra: Paulo Ricardo Costa /Luis Fernando da Silva.
Melodia: Luis Fernando da Silva/Jardel Borba/Rogério Damasceno.

8. SERRANO PACHOLA
Letra: Eriam Fogaça/Emílio Fogaça
Melodia: Eriam Fogaça/Emilio Fogaça

Fase Geral – Sábado - 15 de setembro - 19h30
1. A ALMA DA GAITA
Letra: Silvio Carvalho
Melodia: Vani Vieira/Henrique Bagesteiro Fan

2. CANDINHO, DE HERÓI A BANDIDO
Letra: Ivo Ladislau/Mário Tressoldi/Chico Saga
Melodia: Mário Tressoldi/Chico Saga

3. DE CORPO MOLE
Letra: Arabí Rodrigues/José Luiz dos Santos
Melodia: Rodrigo Pires

4. ESPORAS CASTELHANAS
Letra: José Melo/Cristiano Medeiros/Adriano Medeiros.
Melodia: Alex Moraes/Fábio Antunes/Daniel silva.

5. O CANCIONEIRO PARTIU
Letra: Paulo Trentin
Melodia: Lucas Ferreira

6. O GAITEIRO É O MAESTRO CAMPEIRO
Letra: Érlon Péricles
Melodia: Érlon Péricles

7. OS BUGIOS DE SÃO CHICO
Letra: Émerson Martins
Melodia: Jairo Martins/Émerson Martins

8. ONDE RONCAM BUGIOS
Letra: José Claro
Melodia: José Claro/Gabriel Claro

9. QUEM NÃO GOSTA DE BUGIO
Letra: Marco Antônio Soares
Melodia: Cicero Fontoura

10. SUA LEMBRANÇA AO CLAREAR MADRUGADAS!
Letra: Daniel Silva
Melodia: Jones Andrei Vieira

Fonte: Léo Ribeiro de Souza

quarta-feira, 29 de agosto de 2018

8º EDIÇÃO DO FESTIVAL CAMPO A FORA


Não esqueçam que dia 08 de Setembro no CTG Coxilha de Ronda em Santiago a 8ª edição do Festival Campo a Fora, lá estarão grandes nomes da música regionalista, num ambiente de amizade além de musica boa, concorrendo a premiação maior. 
Vajam as musicas que estarão em palco:
1. MILONGA DE TODA LIDA (Milonga)
Letra: Silvério Motta
Melodia: Urgel G. Souza
2. A DOMA DO ALAMBRADOR (Chamarrita)
Letra: Matheus Costa
Melodia: Geovani Silveira
3. DE QUEM SE FEZ MISSIONEIRO (Chamarra)
Letra: Jairo Velloso/Mário Amaral
Melodia: Nilton Ferreira
4.TORMENTA NA SÃO FERNANDO (Chamarra)
Letra: João Fontoura(Cabo João)
Melodia: João Fontoura/Halber Lopes
5. DESPEDIDA (Chamamé)
Letra: Jorge Modesto.
Melodia: Juliano Moreno
6. VIOLÃO ROUBADO (Milonga)
Letra: Dalvan Medina
Melodia: Volmir Coelho
7. DA SERVENTIA DOS BICHOS (Chamamé)
Letra: Edu Novakoski/Guto Gonzalez
Melodia: Edu Novakoski
8. LIDANDO COM CORDA E DOMA (Chamarra)
Letra: José Dias motta
Melodia: Diego Muller/Halber Lopes
9. A UMA QUADRILHA MONARCA (Milonga)
Letra: Jorge Peres Machado
Melodia: Sergio Sodré Pereira
10. DÉCIMA DOS MEUS APEROS (Milonga)
Letra: Mateus Lampert
Melodia: Geovani Silveira
11. DOS MANSO DO ARREIO (Chamamé)
Letra :Guto Gonzalez
Melodia: Guto Gonzalez
12. O OUTRO GUAXO (Rasguido Doble)
Letra: Paulo Ozório Lemes
Melodia: Juliano Moreno

Chegada de Paixão ao Céu


Desenho de Léo Ribeiro de Souza 

Parabéns ao grande Poeta e amigo Léo Ribeiro de Souza, criador dessa obra de arte que retrata bem a chegada de Paixão Côrtes ao céu, numa entrevista com São Pedro. Somente um grande artista tem a capacidade de retratar com tamanha grandeza numa imagem a vida e a grandeza de Paixão Cortes para um estado, somente ele, Paixão, poderia entrevistar São Pedro e quem sabe tirar deles mais alguns passos de dança e notas de música.



PREMIAÇÃO - CELEIRO DA POESIA


Aconteceu neste sábado, 25/08, a 2ª Colheita de Versos do 6º Celeiro da Poesia, em Abdon Batista/SC.
A premiação ficou assim:
POESIA:
Primeiro Lugar: 
Valdomiro, Construtor de Labirintos
Autora: Joseti Gomes
Declamador: Neiton Peruffo
Amadrinhadores: Luciano Salerno e Willian Andrade

Segundo Lugar: 
Além da Estampa em Recorte
Autor: Moisés Menezes
Declamador: Wilson Araújo
Amadrinhador: Natalício Cavalheiro

Terceiro Lugar: 
 Ranchito
Autor: Matheus Costa
Declamador: Érico Padilha
Amadrinhador: Luidhi Moro Muller

DECLAMADOR:
Primeiro Lugar: 
Neiton Perufo
Poema: Valdomiro, Construtor de Labirintos

Segundo Lugar: 
Érico Padilha
Poema: Ranchito

Terceiro Lugar: 
Pedro Júnior da Fontoura
Poema: Paixão

AMADRINHADOR:
Primeiro Lugar: 
Luciano Salerno (Serrote) e William Andrade (Violão)
Poema: Valdomiro, Construtor de Labirintos

Segundo Lugar: 
Natalício Cavalheiro (Violão)
Poema: Além da Estampa em Recorte

Terceiro Lugar: 
Kayke Mello (Viola)
Poema: Se Não Fosse a Poesia (Guilherme Suman)

Melhor Poesia Tema Especial: PaixãoAutor: Rodrigo Bauer
Declamador: Pedro Junior da Fontoura
Amadrinhador: Kayke Melo

Enviado por: Marilene Huff

segunda-feira, 27 de agosto de 2018

Prefeitura de São Borja quer imposto sobre ingressos na Semana Farroupilha

Tchê Barbaridade (Foto: Divulgação)
São Borja se prepara para receber milhares de visitantes na Semana Farroupilha. Entre os dias 13 e 19 de setembro, quatro CTGs e um clube da cidade irão promover nada menos que 32 bailes. Não é à toa que a localidade da fronteira-oeste se tornou, através de lei sancionada pelo governador, a “Capital Gaúcha do Fandango”. Carro-chefe de um ampla campanha divulgação promovida pela prefeitura e organizadores da festa, a expressão foi utilizada pela primeira vez numa reportagem que gravamos para o RBS Notícias.

Para um artista gauchesco, tocar em São Borja é uma vitrina. Tanto que o grupo Tchê Barbaridade escolheu uma das entidades locais para gravar parte de um DVD ao vivo, no dia 15.
-É uma honra nós tocarmos lá. A cidade foi escolhida porque nesses 30 anos de carreira, sempre animarmos bailes lotados em São Borja. É uma energia maravilhosa, explica o vocalista Cris Vargas.
Nos anos anteriores, galpões tiveram que fechar as portas logo no começo dos bailes, por causa da lotação. Responsável por trazer para as festas os grupos mais famosos do estado, o Centro Nativista Boitatá já esgotou a venda de mesas. No CTG Tropilha Crioula, restam poucos pacotes. O custo para as sete noites (quatro pessoas) varia de R$ 630,00 a R$ 700,00 incluindo ingressos. Entradas avultas também serão colocadas à venda.

No entanto, na contramão de do esforço que vem sendo feito para valorizar a Semana Farroupilha de São Borja, a prefeitura decidiu cobrar Imposto Sobre Serviços (ISS) de 5% sobre a venda presumida de ingressos nas entidades. Também quer recolher o tributo sobre o valor do contratato firmado com os grupos de baile. O patrão do Centro Nativista Boitatá, Flávio Ceolin, está revoltado. Disse que a Câmara aprovou um projeto reduzindo a alíquota sobre os contratos para 2% e que não aceita recolher o tributo sobre a venda de entradas. Como resposta, anunciou que a entidade não participa mais de eventos relacionados com a prefeitura. O blog já pediu uma posição ao prefeito e aguarda retorno.
A prefeitura alega que o documento com a cobrança de 5% foi encaminhado antes da aprovação da lei pela câmara e que marcou para amanhã uma reunião com as entidades.

Fonte: https://g1.globo.com

Morre o tradicionalista Paixão Côrtes


 
Paixão Côrtes é um dos maiores nomes do tradicionalismo no Rio Grande do Sul (Foto: Deivis Bueno/ Estampa da Tradição Fotografia)


Morre em Porto Alegre o tradicionalista Paixão Côrtes, aos 91 anos
Ele estava internado no Hospital Ernesto Dornelles. Instituição confirmou que o óbito aconteceu às 16h05, mas não informou a causa.
Paixão Côrtes é um dos maiores nomes do tradicionalismo no Rio Grande do Sul (Foto: Deivis Bueno/ Estampa da Tradição Fotografia)
Morreu na tarde desta segunda-feira (27) em Porto Alegre o tradicionalista Paixão Côrtes. Ele estava internado no Hospital Ernesto Dornelles. A instituição confirmou que o óbito aconteceu às 16h05, mas não informou a causa.
Paixão Côrtes estava na UTI do hospital, se recuperando de complicações após uma cirurgia. Aos 91 anos, ele sofreu uma queda ainda em julho e fraturou o fêmur de uma das pernas.
Paixão Côrtes é um dos maiores nomes do tradicionalismo no Rio Grande do Sul. Ele serviu de modelo para a estátua do Laçador, monumento que homenageia o gaúcho na entrada da cidade de Porto Alegre.


Inspirado em Paixão Côrtes, Monumento ao Laçador é um dos símbolos de Porto Alegre (Foto: Roberta Salinet/RBS TV)

O monumento assinado pelo escultor Antônio Caringi foi escolhido em 1992 como símbolo de Porto Alegre. Tombada como patrimônio histórico em 2001, a estátua foi transferida em 2007 do Largo do Bombeiro para o Sítio O Laçador, onde fica até hoje, devido à construção do Viaduto Leonel Brizola.
Paixão Côrtes foi um dos idealizadores do movimento tradicionalista no Rio Grande do Sul, juntamente com Luiz Carlos Barbosa Lessa e Glauco Saraiva. Em 1948, ele organizou e fundou o Centro de Tradições Gaúchas (CTG) 35 e, em 1953, fundou o pioneiro Conjunto Folclórico Tropeiros da Tradição.
Junto com Barbosa Lessa, Paixão Côrtes resgatou as tradicionais gaúchas Chimarrita-balão, Balaio, Maçanico e Quero-Mana, Tirana do Lenço, Rilo, Xote Sete Voltas, Xote Inglês, Xote Carreirinha, Vaneira Marcada, Tatu e Pezinho, que foram gravadas por Inezita Barroso.
Nas décadas de 1950 e 1960, Paixão Côrtes se apresentou na Europa, em locais como o Teatro Olympia de Paris, o palco da Universidade de Sorbonne, também na capital francesa, e na Feira Mundial de Transportes e Comunicação, em Munique, na Alemanha. Em 1964, foi premiado como o Melhor Cantor Masculino de Folclore do Brasil.

Fonte: https://g1.globo.com

quinta-feira, 23 de agosto de 2018

FESTIGAITA inscrições abertas

Comunicamos à todos que o FESTIGAITA(Festival de Gaitas e Gaiteiros) planejado para acontecer nos dias 15 e 16 de setembro de 2018 na cidade de Tapejara, conforme informado em regulamento previamente divulgado, terá sua datas adiadas.
Será realizado nos dias 21 e 22 de setembro de 2018, no mesmo local e sob as mesmas condições previstas no regulamento.
Comunicamos que as inscrições poderão ser feitas até dia 06 de setembro de 2018 pelo email: 1festigaita@gmail.com

Colocamos- nos à disposição para maiores informações.

Comissão Organizadora
Rita Ferreira 
(55) 99672-4816

segunda-feira, 20 de agosto de 2018

11º CANTO NATIVO - RESULTADO


Jean Kirchoff e Rômulo Chaves, vencedores do 11º Canto Nativo.

A 11ª edição do Canto Nativo de Santo Augusto, foi encerrada na madrugada deste domingo, 19/08. O resultado é o seguinte:
Primeiro Lugar: Quando um Taura se Faz Terra
Gênero: Milonga
Letra: Rômulo Chaves
Melodia: Jean Kirchoff,
Interpretação: Jean Kirchoff

Segundo Lugar: Motivos Para Meu Canto
Gênero: Milonga
Letra: Luiz Onério Pereira
Melodia: Leandro Massa
Interpretação: Nando Soares

Terceiro Lugar: Culpa
Gênero: Milonga
Letra: Matheus Borges
Melodia: Guilherme Castilhos
Interpretação: Felipe Prates
Melhor Intérprete: Nilton Ferreira - Prenda Bem Querer
Melhor Instrumentista: Guilherme Castilhos - Violão - Culpa 
Melhor Letra: Motivos Para Meu Canto - Luiz Onério Pereira
Melhor Arranjo: Culpa
Melhor Grupo Instrumental: Quando um Taura Se Faz Terra
Talento Regional: Henrique Rodrgues - Restos e Rimas
Destaque Regional - Música: Sereno
Autores: Dalvan Medina/Marcelo Paz Carvalho
Mais Popular: Ave Maria das Antônias
Letra: Davi Teixeira
Melodia: Maximiliano Tchêtuco

Fonte: blog Ronda dos Festivais

18ª CASILHA DA CANÇÃO - RESULTADO

O cantor e compositor Alex Har, de Santana do Livramento, foi um dos destaques da 18ª Casilha da Canção Farrapa, realizada nos dias 17 e 18 de agosto, no Theatro Prezewodowiski, na cidade de Itaqui. Além de conquistar o troféu de Melhor Intérprete do festival, defendendo a música vencedora da Linha Nativista Campeira, Alex levou pra casa o troféu de terceiro lugar da Linha Farroupilha,com a música "A Sina das Vivandeiras", parceira dele com os letristas Maurício Oliveira e Deivid Damasceno.
A premiação completa da 18ª Casilha é a seguinte: 
LINHA NATIVISTA CAMPEIRA
Primeiro Lugar: Depois da Partida
Gênero: Chamamé
Letra: Paulo Ricardo Costa 
Melodia: Giovani Boazan
Interpretação: Alex HarGeovane Silveira (Violão Solo) 
Kelen Botino(Guitarron)
Higor Assis (Gaita Botoneira)

Segundo Lugar: Minha Saudade é Tempo Antigo 
Gênero: 
Letra: Getúlio Santana Silva
Melodia: Cleiber Rocha
Interpretação: Cleiber Rocha e Grupo Parceria 
Adão Quinta (Violão Base)
Vani Vieira (Acordeon)
Henrique Bagesteiro (Contrabaixo)
Felipe Goulart (Violão Solo) 

Terceiro Lugar: Seu Nome é Chamamé 
Gênero: Chamamé
Letra: Rodrigo Bauer
Melodia: Felipe Goulart/Marcelo Antunes
Interpretação: Eduardo Martins
Felipe Goulart (Violão)
Álvaro Dias (Cajon)
Lucas Grassi (Contrabaixo)
Marcos Santana (Gaita).

LINHA FARROUPILHA
Primeiro Lugar: História Farrapa
Gênero: Letra: Vitor Bertei
Melodia: Vitor bertei
Interpretação: Eduardo Martins
Felipe Goulart (Violão e Vocal)
Marcio Porto (Bombo Leguero) 

Segundo Lugar: Nas Chamas da Glória
Gênero:Letra: Claudionir Bastos/Maxsoel Bastos de Freitas
Melodia: Cleverson Alfaro
Interpretação: Ricardo Tubino
Cleberson Alfaro (Aacordeon)Solon Zacarias (Violão Solo e Vocal)
Nei Menezes (Violão Base e Vocal)
Jaime Ribeiro (Contrabaixo e Vocal)
Bruno Dávila (percussão)

Terceiro Lugar: A Sina das Vivandeiras
Gênero: Milonga
Letra: Mauricio Oliveira/Deivid Damasceno
Melodia: Alex Har
Interpretação: Alex Har
Higor Assis (Gaita Botoneira)
Geovane Silveira (Violão Solo e Vocal)
Jan Bittencurt (Guitarra e Vocal)
Gabriel Covalic (Percussão).

Melhor Letra Farroupilha: História Farrapa - Vitor BerteiMelhor Interpretação: Depois da Partida – Alex Har e Grupo
Melhor Intérprete: Alex Har - Depois da PartidaMais Popular: Jacinto Guedes da Luz
Autores: Joao Sampaio/Amigo Souza

Fonte> Blog dos Festivais

FESTIVAL CAMPO A FORA - Santiago.

Composições Classificadas para irem a palco da 8ª Edição do FESTIVAL CAMPO A FORA 2018 no CTG Coxilha de Ronda no dia 08/09/18. Triagem 18/08/18. 

Composições Classificadas para irem a palco da 8ª Edição do FESTIVAL CAMPO A FORA 2018 no CTG Coxilha de Ronda no dia 08/09/18. Triagem 18/08/18.
1. MILONGA DE TODA LIDA (Milonga)
Letra:Silvério Motta
Melodia:Urgel G. Souza
2.A DOMA DO ALAMBRADOR (Chamarrita)
Letra:Matheus Costa
Melodia: Geovani Silveira
3.DE QUEM SE FEZ MISSIONEIRO (Chamarra)
Letra:Jairo Velloso/Mário Amaral
Melodia: Nilton Ferreira
4.TORMENTA NA SÃO FERNANDO (Chamarra)
Letra:João Fontoura(Cabo João)
Melodia:João Fontoura/Halber Lopes
5.DESPEDIDA (Chamamé)
Letra:Jorge Modesto.
Melodia:Juliano Moreno
6.VIOLÃO ROUBADO (Milonga)
Letra: Dalvan Medina
Melodia:Volmir Coelho
7.DA SERVENTIA DOS BICHOS (Chamamé)
Letra:Edu Novakoski/Guto Gonzalez
Melodia:Edu Novakoski
8.LIDANDO COM CORDA E DOMA (Chamarra)
Letra:José Dias motta
Melodia:Diego muller/Halber Lopes
9.A UMA QUADRILHA MONARCA (Milonga)
Letra:Jorge Peres Machado
Melodia: Sergio Pereira
10.DÉCIMA DOS MEUS APEROS (Milonga)
Letra:Mateus Lampert
Melodia:Geovani Silveira
11. DOS MANSO DO ARREIO (Chamamé)
Letra :Guto Gonzalez
Melodia:Guto Gonzalez
12.O OUTRO GUAXO (Rasguido Doble)
Letra:Paulo Ozório Lemes
Melodia:Juliano Moreno

SUPLENTES

DANDO RÉDEA AO CORAÇÃO
Marçal Furian/Edu novakoski

BENZIDO
Zeca Alves/Gladimir escobar

CAVALO DE BORRACHO
Jussemar dos Anjos,Silvio Genro/Jarbas Nadal

QUANDO A LUA FOR MATREIRA
Igor Mastroiano/Daniel Simões Lopes

CHIMARRITA ALPARGATEADA
Paulo Ricardo Costa/kayke Mello

segunda-feira, 13 de agosto de 2018

7ª Tertúlia Maçônica fazendo bonito


Todos os poetas com seus respectivos troféus (FOTO: Blog Ronda dos Festivais) 
Sábado a noite, antes de atravessar o passo para domingo deu-se por encerrada mais um grande festival de Poesia, a 7ª Tertúlia Maçonica da Poesia Crioula, evento promovido pelo Piquete Fraternidade Gaúcha, e que teve nessa edição uma peculiaridade, não houveram concorrência nas declamações, apenas uma amostra de 10 poemas muito bem interpretados, mostrando mais uma vez que poesia se faz por amor a arte. A iniciativa desse feito só poderia vir de uma grande cabeça, me refiro ao Coordenador Léo Ribeiro de Souza, que mais uma vez foi feliz, ao meu ponto de vista, de fazer a arte pela arte, dando sim uma ajuda de custo a todos os que la estiveram para custear suas despesas, mas premiando a todos por igual, como toda arte deveria ser feita.
Parabéns pela inciativa e por mais esse grande evento de arte poética e declamatória, cumprindo mais uma vez com a finalidade da poesia, que é integração de arte e do amor que todos trazer por ela.
La estiveram o Carlinhos Lima representando a Tertulia da Poesia de Santa Maria e Djalma Pacheco representando o Esteio da Poesia de Esteio. Que essa integração de festivais sejam esternas, pois assim só quem ganha é a Poesia.

Leo Ribeiro de Souza um expoente de São Chico

Leo Ribeiro de Souza um dos maiores expoentes na literatura poética do Rio Grande do Sul, será homenageado na sua terra natal, a bela São Chico de Paula, na Serra Gaúcha e com muito mérito, pois é um dos grandes defensores de sua terra e dos valores que não deixa morrer, como é o caso do bugio, esse ritmo que o Rio Grande deveria se orgulhar mais. É muito bom saber que tem cidades que valorizam seus filhos, mesmo estando longe e fico muito feliz de dizer que o Leo é um dos grandes amigos que a poesia e música me deu. 
Parabéns meu amigo, que esses sejam , apenas os primeiros reconhecimentos de tantos que estão por virem. 
Deixo aqui as suas palavras, retiradas de sua página na web, para mostrar que sim, Santo de Casa também faz milagres, apenas os que recebem os milagres, nem sempre os reconhecem...

"SANTO" DE CASA TAMBÉM PODE FAZER MILAGRES


Meus amigos e amigas. Com muito entusiasmo venho contrariar o famoso ditado de que santo de casa não faz milagres. Não que eu seja "santo", longe disto, o dito popular é só para ilustrar minha alegria. Depois de ter sido escolhido como homenageado no 27º Ronco do Bugio, que acontecerá nos dias 14 e 15 de setembro, me foi confirmado o convite para ser Patrono da 20ª Feira do Livro de São Francisco de Paula, que acontecerá nos dias 19 e 20 de outubro. É a segunda vez que serei o Patrono, algo inédito, o que demonstra mais fortemente o carinho que minha gente tem por mim ( a recíproca é verdadeira).

Por tudo isso, se a parceirada não me encontrar pelas bandas da capital nesta semana, é porque a partir de hoje, dia 13 de agosto, estarei visitando 15 escolas municipais, da sede e do interior, de minha terra. Será uma peregrinação cultural para divulgar a feira através do Concurso de Poesias, Frases, Versos e Desenhos que resolvemos criar. O Tema é: A IMPORTÂNCIA DO LIVRO.

Agradeço a Ana Paula Ferreira Cruz Bennemann, Secretária Municipal de educação, Cultura e Desporto, bem como a Rejane Vieira Bom, Coordenadora da Biblioteca Pública Elyseu Paglioli, pela relembrança de meu nome. Farei de tudo para não desapontá-las."

sábado, 11 de agosto de 2018

1º FESTIGAITA - de Tapejara


Estão abertas as inscrições para o 1º FESTIGAITA - Festival de Gaita e Gaiteiros de Taperaja, cidade no Planalto Gaúcho e terra de grandes gaiteiros. O Festival está programado para os dias 15 e 16 de setembro, durante a Semana Farroupilha.

A premiação é boa e premiará os melhores em Gaita a Ponto, Gaita Pianada e Gaita Cromática.  além da revelação e premiações paralelas. 
As inscrições vão até dia 24 de Agosto e podem serem feitas pela web pelo e-mail 1festigaita@gmail.com 
A Produção e execução é da Açoriana Associação de Cultura, eventos e promoções. 
Maiores informações é so entrar em contato com os organizados em suas páginas na web.
TODOS CONVIDADOS.

domingo, 24 de junho de 2018

REGULAMENTO CANDELÁRIA DA CANÇÃO GAÚCHA – 2018 1º EDIÇÃO


REGULAMENTO CANDELÁRIA DA CANÇÃO GAÚCHA – 2018 1º EDIÇÃO

Art. 1º – O festival Candelária da Canção Gaúcha – 1º edição é um festival de músicas inéditas, de cunho regionalista, que integra um projeto cultural produzido e executado pela O R F Produtora, com apoio do CTG Negrinho do Pastoreio;

Art. 2º - O evento será realizado nos dias 31 de agosto, 01 e  02 de setembro de 2018, nas dependências do CTG Negrinho do Pastoreio, situado na Rua Gabriel Machado, nº 1993, centro – São Francisco de Assis - RS

OBJETIVOS: Candelária da Canção Gaúcha – 1º edição
Art. 3º - São objetivos:
-  Oportunizar manifestações artístico -culturais, promovendo a integração e troca de experiências entre músicos, poetas, compositores e interpretes, de forma a projetar São Francisco de Assis e sua história como importante polo cultural, educacional, turístico e econômico do Estado do Rio Grande do Sul;
-  Fomentar e incentivar a criatividade de compositores e intérpretes com letras e melodias identificadas à temática regional gaúcha;
-  Reafirmar a importância da preservação e divulgação da identidade cultural gaúcha, através da música gaúcha, exaltando as culturas campeiras e a valorização do homem do campo em todas as suas manifestações.
-  O festival terá como primordial as músicas que contenham a exaltação das linhas CAMPEIRAS em toda a sua extensão poética, literária e musical, buscando sempre a diversidade de ritmos e melodias, bem como, a forma de resgatar ritmos que estejam esquecidos no meio musical, desde que, com a qualidade que o evento exige.

ADMINISTRAÇÃO DO FESTIVAL
Art. 4º - Será constituída uma Comissão Organizadora para realizar o evento.
Art. 5º - Compete à Comissão Organizadora do evento Candelária da Canção Gaúcha – 1º edição:
Receber as inscrições para o festival;
Contratar artistas de renome e popularidade para os espetáculos previstos.

INSCRIÇÃO E PARTICIPAÇÃO
Art. 6º - Poderão participar do evento Candelária da Canção Gaúcha – 1º edição, compositores, músicos e intérpretes de qualquer parte do Brasil e de países vizinhos, desde que respeitada a proposta do evento, qual seja, de acolher temas identificados com o folclore, tradição, usos e costumes do Rio Grande do Sul.
Parágrafo primeiro: No ato da inscrição, os autores concordam, caso selecionados na triagem, em ceder o direito de gravação e divulgação de suas composições ao evento Candelária da Canção Gaúcha- 1º edição, exceto os direitos autorais.

Art. 7º - É vedada a participação de familiares ou músicos envolvidos diretamente com Candelária da Canção Gaúcha – 1º edição, os integrantes das comissões Organizadora e Avaliadora, bem como dos patrocinadores do evento.

Art. 8º - As inscrições ao devem ser enviadas até a data limite de 03 de Agosto de 2018, às 23:59:59, exclusivamente pela internet, para o endereço eletrônico: candelariadacancaogaucha@hotmail.com ;

Art. 9º - As obras inscritas devem ser enviadas em e-mails separados, contendo em cada remessa, os seguintes itens:
Arquivo de áudio da música inscrita, exclusivamente em formato MP3;
Letra da composição, digitada em arquivo Word, fonte Arial 14 sem qualquer identificação dos autores;
Ficha de Inscrição, devidamente preenchida e assinada, salvar em arquivo Word ou PDF.
Todos os arquivos exigidos para inscrição (áudio, letra e ficha de inscrição) devem ser nomeados com o mesmo título
Parágrafo quarto: Não será cobrada taxa de inscrição

Art. 10º - O numero de composições inscritas, por autor é livre, porem a comissão julgadora classificará apenas uma (1) composição por autor ou parceria, a fim de ampliar oportunidades;
Art. 11º - As composições deverão ser inéditas, tanto na letra, quanto na melodia, entendendo-se como tal os trabalhos que não tenham sido gravadas em LP, CD, K-7, vídeo, comercial, filme ou similares, nem divulgadas em sites, blogs ou redes sociais.
Parágrafo primeiro: Eventuais denúncias à cerca do não ineditismo de alguma obra concorrente ou referente a algum participante que não se enquadre neste regulamento, deverão ser encaminhadas por escrito, mediante a apresentação de provas concretas, até o final da apresentação da última música concorrente na primeira noite do festival.

Art. 12º – As letras das músicas inscritas no evento Candelária da Canção Gaúcha – 1º edição deverão ser versadas obrigatoriamente na língua portuguesa, podendo conter citações em línguas correntes dos países do Mercosul.

Art. 13º - Somente serão aceitas as inscrições cujos dados tenham sido informados na Ficha de Inscrição, cujo modelo está disponibilizado ao final deste regulamento.

Art. 14º - Após a inscrição de sua obra, o autor fica condicionado a não divulgação pública da mesma até a data do evento, sob pena de desclassificação.

Art. 15º - No ato da inscrição deverá ser informado um único responsável legal e financeiro sobre a obra, ficando a cargo deste, questões diversas e recebimento dos valores.
Parágrafo único: A produção e coordenação do festival se eximem de quaisquer problemas com a divisão de recursos provenientes deste festival, ficando sob-responsabilidade do grupo tal definição.

TRIAGEM
Art. 16º - A Comissão Organizadora da CANDELARIA DA CANÇÃO GAÚCHA EDIÇÃO constituirá uma Comissão Avaliadora Técnica, formada por Salvador Lamberty, Marines Siqueira, Jaime Ribeiro, Léo Ribeiro de Souza e Dartagnan Portella, poetas, músicos, compositores, artistas de reconhecida capacidade no meio artístico-cultural do Rio Grande do Sul;

Art. 17º - Encerrado o período para inscrições, a triagem das músicas será feita por uma comissão de Poetas, cantores, músicos escolhidos pela Comissão Organizadora e somente após as escolhas das concorrentes será convocada a comissão avaliadora que avaliará somente os três dias de evento. Serão selecionada 20 (vinte) composições para fase classificatória que serão divididas em duas apresentações, nos dias 31 de agosto e 01 de setembro de 2018. Após as respectivas, serão divulgadas as 14 (quatorze) músicas que comporão o CD e DVD, as quais concorrerão à premiação oferecida pelo festival, na apresentação final na noite de domingo, dia 02 de setembro de 2018.
Parágrafo primeiro: Das 20 (vinte) musicas selecionadas, 04 (quatro) terão que serem obrigatoriamente da fase local, ou seja, de autores de São Francisco de Assis. Autores da letra, autores da música, deverão ter nascidos ou que atualmente residam no município de São Francisco de Assis, comprovando com documentos, até o dia do festival, salvo 02 (dois) músicos que poderão ser convidados, mesmo não residindo ou não terem nascidos em São Francisco de Assis. Em caso de não comprovação, do restante, a música não receberá a ajuda de custo e estará fora do festival, não subindo a palco.
              Todas as 20(vinte) composições classificadas para o festival deverão ser gravadas em            estúdio, com qualidade para fazer parte do CD do festival e deverão ser enviadas em um CD em  formato  wave,  até dia 15  de  agosto  de  2018,   juntamente com de ficha técnica completa, na qual deverão constar os dados completos dos autores de letra e melodia, bem como os nomes dos músicos e do intérprete que defenderão a canção no palco do festival.
 Caso não chegue, será automaticamente substituída pela suplente.

Parágrafo segundo: Os grupos não poderão se apresentar no palco com número inferior a 03 (três) integrantes, nem superiores a 07(sete);


Parágrafo terceiro: A relação das composições classificadas, no Candelária da Canção Gaúcha – 1º edição, serão comunicados de forma individual aos seus autores, bem como nas redes sociais, no término da triagem.
Parágrafo quarto: A composição, selecionada e classificada, deverá ser apresentada pelo mesmo grupo, sem acréscimo e ou substituição de músicos.

 Art. 18º - Juntamente com a ficha de inscrição, os autores já autorizam a gravação da música no CD e no DVD do festival.
COMPETIÇÃO E APRESENTAÇÃO
Art. 19º – A passagem de som das músicas concorrentes será realizada entre às 13h e 18h do primeiro dia de festival, em horário previamente estabelecido pela organização, valendo os mesmos ajustes técnicos para os dois dias de evento.
Parágrafo primeiro: A comissão organizadora informará aos responsáveis pelas músicas concorrentes, a ordem da passagem de som e horário.
Parágrafo segundo: Cada obra classificada deverá obedecer aos horários previamente estabelecidos para passagem de som e apresentação no palco, sob pena do não recebimento integral do prêmio pela classificação.

Art. 20º - Serão permitidos, além de instrumentos musicais típicos do Rio Grande do Sul, todo e qualquer instrumento que o arranjador julgar necessário para melhor qualificação, desempenho e enriquecimento da obra classificada, sendo que o(s) autor(es) se responsabiliza(m) por sua introdução no palco.
Parágrafo Único: A Produção não colocará qualquer instrumento musical no palco, exceto uma bateria, sonorização e iluminação profissional com equipe técnica.

Art. 21º – Os intérpretes e os músicos participantes deverão apresentarem-se trajando a indumentária típica do Rio Grande do Sul.
Parágrafo Único: Ficam proibidas as vestimentas e/ou adereços contendo caracteres publicitários, discriminatórios e/ou de conotação política.
Parágrafo primeiro: O intérprete vocal poderá defender no máximo uma (01) música concorrente, nesta condição.
Parágrafo segundo: Aquele que atuar com intérprete em uma composição, poderá atuar, exclusivamente como instrumentista, em no máximo mais 01 (uma) músicas concorrentes;
O  músico instrumentista poderá atuar em( 2) duas músicas.
Parágrafo terceiro: A apresentação que contrariar ao disposto neste artigo será automaticamente desclassificada.

Art. 23º - Os músicos deverão estar nos bastidores do evento em até 30 minutos anteriores ao horário marcado para as suas apresentações, assim evitando que não se apresentem ou prejudiquem a dinâmica do evento.

Art. 24º - Os intérpretes, músicos e os autores classificados reservam os direitos audiovisuais de sua obra à Candelária da Canção Gaúcha- 1º edição, seja para divulgação, bem como para gravação.

CACHÊS E PREMIAÇÕES:
Art. 25º – As vinte composições classificadas na triagem e devidamente notificadas, receberão a titulo de "cachê por classificação" no valor de R$ 2.000,00 (dois mil reais) com desconto INSS de 11%, recebendo o líquido de R$ 1.780,00 (um mil e setecentos e oitenta reais);

Art. 26º – A Comissão Organizadora se compromete a efetuar os pagamentos em CHEQUE, tanto dos cachês por classificação (logo após a apresentação em palco) quanto das premiações (após a divulgação do resultado).
Parágrafo primeiro: O responsável pela inscrição (ou terceiro com autorização previamente informada e com assinatura) deverá assinar comprovante de recebimento do valor da premiação;
Parágrafo segundo: Somente serão feitos os pagamentos a pessoa indicada na Ficha de Inscrição como representante legal e financeiro da obra, portando documento com foto, no qual conste RG, CPF e o nº do PIS/Pasep;
A forma de avalição, na noite final, dar-se-á por voto escrito em planilha de 7 a 10 com seus decimais, para: LETRA, MELODIA, ARRANJOS E INTERPRETAÇÃO que serão somadas e exclusas a maior e a menor nota, de cada planilha, ficando a média das outras três. Notas essas que serão divulgadas em painel após o final do evento.
Em caso de empate nas notas, vencerá aquela que tiver maior nota na soma das notas das 5 planilhas. Em persistindo empate, será vencedor quem tiver a nota maior em todas as planilhas.

Art. 27º - Os destaques do Candelária da Canção Gaúcha- 1º edição, receberão a seguinte premiação:
Primeiro Lugar: R$ 2.500,00 + Troféu Candelária do Ibicuí - recebendo o líquido de R$ 2.475,00 (dois mil e quatrocentos e setenta e cinco reais); com descontos dos impostos previstos em lei.
Segundo Lugar: R$ 2.000,00 + Troféu Negrinho do Pastoreio
Terceiro Lugar: R$ 1.500,00 + Troféu Pedro Telles Tourem
Melhor Intérprete: R$ 500,00n + Troféu Ivan Biscayno
Melhor Instrumentista: R$ 500,00 + Troféu Jader Gindri Berguemaier
Melhor Letra: R$ 500,00 + Troféu Francisco Carlos Salles (Chiquinho)
Melhor Composição sobre São Francisco Assis: R$ 1.000,00 + Troféu João Venâncio Bessa de Azambuja - Indio Azambuja -
Melhor Mais popular: R$ 1.000,00 + Troféu Jurandir Machado.
A canção mais popular será escolhida pelo público, através de votos na noite da finalíssima. Será colocada, no local, uma urna especial para tal finalidade;

Parágrafo único: os valores das premiações terão descontos de impostos, conforme tabela prevista por lei.

DISPOSIÇÕES GERAIS
Art. 28º – Os casos omissos no presente regulamento, bem como eventuais dúvidas surgidas durante a realização do evento, serão resolvidos pela Comissão Organizadora.
Art. 29º – As deliberações da Comissão Avaliadora serão soberanas, não cabendo nenhuma contestação.

Informações:

RITA FERREIRA: (55) 99672-4816
PAULO RICARDO COSTA: (55) 99914-9525
VENÂNCIO-AZAMBUJA:(55)99906-7475



FICHA DE INCRIÇÃO DA CANDELÁRIA DA CANÇÃO GAUCHA 1º EDIÇÃO – 2018


                                (   ) FASE LOCAL                            (    ) FASE GERAL


TITULO:
RITMO:
PROVAVEL INTERPRETE:

AUTOR (ES) DA LETRA:
NOME:
RG:                                                                                              CPF:
FONE:
E-MAIL
ENDEREÇO:

AUTOR (ES) DA MUSICA:
NOME:
RG:                                                                                              CPF:
FONE:
E-MAIL
ENDEREÇO:


DADOS PARA RECEBIMENTO CACHÊ
NOME:
RG:                                                                                              CPF:
FONE:                                                                                          PIS:
E-MAIL
ENDEREÇO:
DECLARO QUE AS INFORMAÇÕES ACIMA SÃO VERDADEIRAS E QUE, AO ASSINAR, ESTOU ACEITANDO AS CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO DO CONCURSO PROPOSTAS NO REGULAMENTO DO FESTIVAL CANDELÁRIA DA CANÇÃO GAÚCHA- 1º EDIÇÃO E AUTORIZO A GRAVAÇÃO NO CD E DVD.
DATA:                                                

    Assinatura do Autor
                                                                                       
     



sexta-feira, 15 de junho de 2018

Jantar de Lançamento da Candelaria da Canção


A Patronagem do CTG Negrinho Pastoreio convida a todos os seus associados e as demais entidades coirmãs, bem como a comunidade Assisense para o Jantar de Lançamento do Festival Candelária da Canção Gaúcha e show de Nilton Ferreira e Grupo Pampa y Cielo, que acontecerá nesse sábado, dia 23 de Junho, a partir das 20 h e 30 min, em sua Sede Social. Terá a presença dos promotores desse evento, colocando a comunidade assisense a grandiosidade e a importância desse evento para a Cultura do Rio Grande do Sul.
O Cardápio será um jantar campeiro, com Carreteiro, Feijoada, Ensopado de Mandioca, saladas diversas, além de um bom vinho e muita música boa. Não será exigida Pilcha, mas desde que esteja de acordo com um grande evento.
Os ingressos antecipados a R$ 25,00 encontram-se à venda, na Banca do Dilamar, Posto do Indio, Secretaria de Cultura com o Moacir e os Membros da Patronagem do CTG ou reserva pelos Telefone 99670-2350 c/ o Moacir ou 99906-7475 com o Venâncio.
Contamos com a Presença de todos, pois a presença de vocês é muito importante para esse primeiro passo que estamos dando para um novo tempo de arte e cultura em nossa cidade.
A todos, desde já, agradecemos.


A Patronagem do CTG Negrinho do Pastoreio.

quarta-feira, 13 de junho de 2018

23ª Quadra da Sesmaria da Poesia Gaúcha

Até dia 30 de junho, inscrições para a 23ª Quadra da Sesmaria da Poesia Gaúcha, festival de poemas inéditos de Osório, um dos mais importantes de nosso movimento poético.
.

terça-feira, 12 de junho de 2018

Recital Alma de Poço - no Theatro Treze de Maio

Mais um grande evento do Galpão da Poesia Crioula de Santa Maria, o Recital Poético Alma de Poço, que trará versos da obra do saudoso Poeta Antonio Augusto Ferreira, com músicas e Poesias. A parte musical contara com a produção musica e arranjos de Kayke Mello além da arte da declamação com os declamadores do Galpão da Poesia.
O Evento acontecerá na noite de 18 de Julho no Theatro Treze de Maio em Santa Maria, à partir das 20 horas - O Ingresso será um agasalho ou um Kg de alimento.
Essa é a forma que o Galpão da Poesia encontra de levar a arte poética e declamatória a todos, que necessitam de poesia para bem viver.
Esperamos todos lá nesse grande evento.

Os Bailes, as danças...

Eu vou escrever algo sobre cultura que talvez a maioria das pessoas não saiba.
Os bailes, as danças de par, não é muito antigo, mas aqui no Rio Grande do Sul teve uma influência muito grande da Igreja, pois antigamente os casamentos se davam somente em famílias abastadas e conhecidas e a sociedade ia ficando cada vez mais poderosa por conta disso, além de casamentos arranjados que não traziam a felicidade aos casais. Vendo isso a Igreja, sim, os Padres liberaram e fomentaram os bailes, nas capelas para que as pessoas pudessem se divertir, se encontrar e dai tivessem, quem sabe novos casamentos. 
Pois bem, então, na Tradição do Rio Grande do Sul, os bailes são encontros de casais, famílias, pessoas, para se conhecerem, quem sabe namorarem, dançarem e se respeitarem. Quando vejo essas danças estilizadas, que o Peão atira a mulher para todo lado e elas, as prendas, se saracoteando parecendo bonecos de posto, eu penso e pergunto:
Que tradição é essa?
Chote afigurado, chamamé afigurado, agora milonga afigurada NÃO EXISTE. Isso são baboseiras desses professores de dança que querem aparecer. Assim como aquele pulo na dança do bugio, NÃO EXISTE! 
Parem de inventar coisas. Nem tudo aquilo que esta escrito é verdade, tem muita gente querendo vender livros e inventam essas baboseiras. 
Baile é para se dançar comportados, para se conhecerem, para se amarem, para se conquistarem e não para ficarem que nem bonecos de Posto, atirando a mulher para todos os lados.
Espero ter contribuído com a CULTURA do Rio Grande do Sul e com essa TRADIÇÃO que morre todos os dias.

segunda-feira, 4 de junho de 2018

PREMIAÇÃO DO 33º CARIJO DA CANÇÃO GAÚCHA


O Carijo da Canção Gaúcha, um dos mais importantes festivais de música do Rio Grande do Sul, realizou sua 33ª edição no último final de semana.O resultado é o seguinte:

Primeiro Lugar: 
 O PRIMEIRO E O ÚLTIMO MATE
Letra: Rodrigo Bauer
Melodia: Vantuir Cáceres
Interpretação: Nilton Ferreira

Segundo Lugar: 
 A VIDA EM PRETO E BRANCO
Letra: Tulio Souza
Melodia: Arison Martins
Interpretação: Arison Martins, Emerson Martins, Jean Kirchoff e Lu Schiavo

Terceiro Lugar: 
NOSSO LEGADO
Letra: Marcelo Paz Carvalho/Zé Renato Daudt
Melodia: Marcelinho Carvalho
Interpretação: Juliano Moreno

Melhor Intérprete: MIGUEL MARQUES
Melhor Instrumentista: GUSTAVO BRODINHO - Contrabaixo - Renascendo a Cada Dia
Melhor Arranjo Instrumental: O NOSSO LEGADO
Melhor Arranjo Vocal: A VIDA EM PRETO E BRANCO
Melhor Trabalho Poético (Letra): O PRIMIERO E O ÚLTIMO MATE - Rodrigo Bauer
Melhor Tema Palmeira das Missões: BATALHA DA RAMADA
Autores: Claudio Reinke/Eduardo Maycá
Interpretação: Eduardo Maycá

Melhor Tema Ecológico: FORTUNA
Autores: Paulo Ozório Lemes/Robson Garcia
Interpretação: Robson Garcia

Melhor Tema Erva-Mate: NA SAFRA DA ERVA
Autores: Paulo Vicente/Fabiano Cestari
Interpretação: Fabiano Cestari

Mais Popular: VANEIRITA
Autores: Rafael Ferreira/Maicon Oliveira
Interpretação: Daniel Silva

Fonte: Blog Ronda dos Festivais 

sexta-feira, 1 de junho de 2018

Lançamento da Candelária da Canção

São Francisco de Assis se apronta para voltar ao roll dos grandes festivais do Rio Grande dos Sul e o primeiro passo estará sendo dado no dia 23 de Junho de 2018, com o lançamento do Festival Candelária da Canção Gaúcha - 1ª Edição - que acontecerá num JANTAR/SHOW no CTG Negrinho do Pastoreio, que terá ao Palco um dos maiores cantores deste estado e cria de São Chico, Nilton Ferreira e Grupo y Cielo. 

O Jantar será da maneira tradicional, "boia" campeira, visto, até por que, o CTG Negrinho do Pastoreio é uma entidade das mais conceituadas em se falando de tradição e conforme disse o Patrão Venâncio Azambuja - "não podemos sair fora do que sabemos fazer bem feito, que são nossas raízes" - e com isso concordamos com o Patrão.

A noite além de show terá a presença de autoridade dos município, convidados especias e a presença das empresas que estão ajudando nesse evento, que conta com a Produção de ORFF Produtora Cultura, na pessoa da Rita Ferreira e sua equipe.
Todos os admiradores da cultura, da música e da poesia estarão de olhos voltados para esse evento, visto que aqui começará um nova história na música de São Francisco de Assis. A partir dessa data, de 23 de Junho, será colocado a disposição de todos os Regulamento do Festival.
Todos convidados.